Amazon pode vender eletrônicos no Brasil com entregas pela Azul – 17/04/2018

 


Há sinais de que a Amazon pretende começar a vender eletrônicos diretamente ao consumidor no Brasil: a empresa estaria alugando um armazém de 50 mil metros quadrados em São Paulo, negociando uma parceria ou compra da Via Varejo e se reunindo com fabricantes de produtos. Mas e a logística? A Amazon entregaria as compras por meio dos Correios? Ao que parece, a parceria será com a Azul.

Segundo a Reuters, a Amazon está negociando a entrega de pedidos no Brasil com a Azul Linhas Aéreas, um indício de que a loja está seguindo adiante com os planos de vender diretamente ao consumidor. Atualmente, a Amazon tem estoque próprio de livros e Kindles no país, mas deixa itens como eletrônicos, celulares, videogames e ferramentas a cargo de outros lojistas, no esquema conhecido como marketplace.
A Azul já trabalha com entregas de produtos vendidos por e-commerce, por meio da unidade de cargas Azul Cargo Express. De acordo com a companhia aérea, a rede “atende a quase 100 aeroportos e mais de 3.000 municípios brasileiros” e também envia as encomendas “ao mercado internacional, seguindo a expansão da malha aérea da Azul para países como Estados Unidos e Portugal”.
Já os Correios são obrigados a entregar em todos os 5.570 municípios do país, mas sofrem críticas por atraso nas entregas e extravio das encomendas. A Reuters afirma que a Amazon “está levando a sério a superação dos notórios desafios logísticos do país, incluindo estradas de má qualidade, problemas de segurança e um território nacional continental”.

Em outros países, a Amazon oferece serviços como entrega rápida sem custo adicional para assinantes do Prime, gerencia o transporte marítimo de mercadorias de vendedores chineses até armazéns nos Estados Unidos, e há rumores de que a empresa planeja criar um serviço de transporte próprio, passando a competir com as gigantes FedEx e UPS.